Você vende ou deseja vender roupas ou acessórios na internet? Se sim, conhecer os marketplaces para vender moda é um passo essencial para alcançar o sucesso. Neste artigo, vamos mostrar algumas das principais opções. Leia! 

Usar os marketplaces para vender moda na Internet é um dos melhores caminhos tanto para quem está começando do zero, quanto para quem já tem um negócio operando no Ecommerce ou no Varejo como um todo.

Isso porque eles funcionam como grandes shoppings online e são capazes de atrair milhões de compradores todos os dias. O fluxo contínuo de pessoas pode tornar mais fácil a vida do lojista na hora de encontrar novos clientes para o seu negócio.

E aí, ficou interessado em saber em quais marketplaces você consegue vender os seus produtos? Nesse artigo, listamos os 13 melhores marketplaces para vender moda.

Boa leitura!

O que é um marketplace moda?

Um marketplace de moda é uma plataforma online que conecta compradores e vendedores de produtos de moda, como roupas, calçados e acessórios. Como dito anteriormente, é uma espécie de shopping virtual onde várias marcas e lojistas podem vender seus produtos em um mesmo lugar.

Esses marketplaces de moda são geralmente operados por empresas maiores que têm uma estrutura mais robusta e contam com maior credibilidade entre os compradores. Dessa forma, tudo que os lojistas precisam fazer é anunciar os seus produtos e deixar que o gerenciamento da plataforma seja feito por outra companhia. 

Marketplaces, geralmente, cobram uma taxa de comissão sobre as vendas realizadas pelos vendedores, em troca de fornecer a plataforma, os serviços de processamento de pagamentos e suporte ao cliente, envio, etc.

Além disso, esses canais de venda oferecem várias vantagens tanto para os vendedores quanto para os compradores: 

  • Para os vendedores, oferecem acesso a um grande público e infraestrutura para vender seus produtos online, além de ferramentas de gerenciamento de vendas e suporte ao cliente;
  • Já para os compradores, oferecem uma ampla variedade de produtos em um só lugar, geralmente com preços competitivos e opções de pagamento seguras.

🛍️ Leia também: Varejo de moda: quais são as tendências do mercado? 

Por que vender em marketplaces de moda?

Vender em marketplaces de moda pode ser uma excelente estratégia para empreendedores que desejam expandir seus negócios e alcançar um público maior. Existem vários motivos pelos quais os marketplaces são atraentes para os vendedores de moda:

  • Acesso a um grande público: os marketplaces de moda geralmente têm um grande número de visitantes e clientes, o que significa que os vendedores podem atingir um grande público interessado em seus produtos;
  • Baixo custo de entrada: a maioria dos marketplaces não cobra uma taxa inicial para que os vendedores possam vender em suas plataformas. Em vez disso, eles cobram uma taxa de comissão sobre as vendas realizadas;
  • Ferramentas de gestão de vendas: a maioria das plataformas oferece uma variedade de ferramentas e recursos para ajudar os sellers a gerenciar seus negócios, como relatórios de vendas, suporte ao cliente e integração com outras plataformas de vendas.

💡 Vai vender moda na internet mas ainda está na busca de fornecedores? Esta lista com 42 polos de moda no Brasil vai te ajudar. Baixe agora, de graça!

15 marketplaces para vender moda

Agora que você já sabe o que é um marketplaces de moda e por que vender em uma plataforma desse tipo, que tal conferir as principais opções disponíveis no mercado?

Veja:

1. Mercado Livre

O Mercado Livre é um dos marketplaces mais famosos do Brasil. Para você ter uma ideia, o site tem cerca de 10 milhões de vendedores e 34 milhões de compradores ativos.

Mesmo não sendo um marketplace específico para a venda de Moda, a categoria representa boa parte de suas vendas, o que acaba atraindo a atenção de marcas, sejam elas grandes ou pequenas.

Hering, Levis, e Reserva são alguns dos grandes nomes que mantêm lojas oficiais lá dentro.

Para as PMEs, entre as principais vantagens de vender no Mercado Livre estão a facilidade para realização do cadastro e o elevado grau de reconhecimento do marketplace por parte dos consumidores.

O melhor da plataforma é que o cadastro é gratuito e você só paga se vender alguma coisa. Ou seja: só tem como ganhar.

Explicamos tudo sobre o assunto no artigo: Aprenda como vender no Mercado Livre com essas 10 dicas de especialistas 

2. Via Marketplace

O Via Marketplace faz parte do Grupo Via, que também é o responsável pelo controle de outras grandes companhias conhecidas no país, como Casas Bahia, Ponto e Extra.com.br.

Juntos, os sites contam com mais de 208 milhões e 15 milhões de usuários ativos nos apps das marcas, buscando os mais variados itens – incluindo moda e acessórios.

Grandes marcas como Havaianas e Mormai já estão por lá e o marketplace abrange as categorias de produtos masculinos, femininos, infantis e linhas de acessórios. 

Já pensou em vender por lá também? Atualmente, o marketplace cobra uma comissão de 17% dos lojistas. Para começar a vender, basta fazer o cadastro na plataforma e aguardar a provação. 

Explicamos mais neste artigo: 5 Passos para vender na Via Varejo Marketplace

3. Amazon

A Amazon é o maior Ecommerce do mundo e precursora do modelo de marketplaces, contando com mais de 20 anos de experiência no mercado.

Lançada em 2012, a Amazon Brasil é a divisão brasileira da varejista e oferece uma ampla variedade de produtos, desde eletrônicos e livros até moda e acessórios.

No segmento de moda, a Amazon Brasil tem investido bastante em seu marketplace de moda, o Amazon Moda, que oferece uma ampla variedade de produtos de moda de marcas renomadas, bem como de vendedores independentes.

Atualmente, é possível vender as categorias de: moda feminina, masculina, infantil, esportiva e acessórios.

👉Para saber como vender e ter sucesso por lá, leia: Amazon Marketplace: o que é e como vender por lá

4. Dafiti

A Dafiti é um dos portais de moda mais reconhecidos no Brasil. A empresa foi fundada em 2011 e é considerada uma das principais responsáveis pela popularização das vendas de moda pela internet. Inclusive, foi o primeiro Ecommerce a vender calçados no Brasil de forma 100% online.

Atualmente, o marketplace conta com mais de 10 milhões de visitantes únicos mensalmente, que navegam pelas centenas de categorias e marcas disponíveis no site.

Inclusive, a Dafiti é considerada como o maior Ecommerce de Moda lifestyle da América Latina e, em 2015, após fusão com as lojas Kanui e Trincae, criaram um dos maiores grupos de Moda do Ecommerce brasileiro.

Resta alguma dúvida de que é muito importante você vender por lá? Aproveite para ler também: Como Vender na Dafiti Marketplace [Moda e Decoração]

5. Kanui

A Kanui iniciou suas operações em 2011 e em pouco tempo se tornou o maior Ecommerce ligado a moda masculina e esportiva do Brasil.

Em 2015, a Kanui uniu suas operações a Dafiti, o que ajudou a consolidar ainda mais a presença do marketplace. São milhões de acessos mensais e forte presença nas redes sociais, atingindo em maior parte o público jovem.

A plataforma pratica diversos tipos de promoções e atrai um grande volume de pedidos para os lojistas participantes. A Kanui também tem investido em serviços diferenciados para seus clientes, como entregas mais rápidas, suporte ao cliente por telefone, chat e e-mail e políticas de devolução e reembolso flexíveis.

6. Tricae

A Tricae foi fundada em 2011 e é uma das principais lojas online de produtos para bebês, crianças e moda infantil no Brasil, com uma ampla variedade de produtos, preços acessíveis e serviços diferenciados. 

Ela é mais uma marca que se fundiu ao Dafiti Group, o que acelerou ainda mais a relevância do seu marketplace. Com seu marketplace de moda infantil em crescimento, a empresa tem tudo para continuar crescendo e se consolidar como uma referência no mercado de produtos infantis e moda infantil online no país.

Então, se você é do nicho infantil, esse é um lugar que precisa marcar presença.

7. Magazine Luiza

O Magazine Luiza é uma das empresas de maior sucesso no varejo brasileiro e que, ao longo dos últimos anos, passou por uma enorme revolução digital.

O Magalu é um dos Ecommerce mais premiados pelo seu atendimento e reconhecidos pela excelência em sua gestão. Fatos que acabam despertando o interesse de muitos parceiros.

O foco do marketplace está em eletrônicos e eletrodomésticos, mas isso não exclui a demanda por produtos de moda.

A categoria de moda e acessórios já existe no Magazine Luiza e podemos esperar maiores investimentos, afinal, o Magalu fez a aquisição da Netshoes, maior Ecommerce de lifestyle esportivo da América Latina.

Saiba mais sobre esse marketplace para vender moda no artigo: Guia prático de como vender no Magazine Luiza começando hoje

8. Netshoes

A Netshoes é um dos principais Ecommerces do país e o maior quando o assunto é esporte. Dentre as diversas categorias de produtos ligados ao mundo esportivo, os itens de moda marcam presença.

O site possui mais de 54 milhões de visitantes mensais e uma marca amplamente reconhecida.

Com a venda para o Grupo Magazine Luiza, espera-se uma melhoria considerável na gestão, o que pode favorecer também aqueles que vendem lá dentro.

Quer saber como vender por lá? Leia: Como vender no Netshoes Marketplace: Passo a Passo Completo

9. Zattini

A Zattini é o braço focado em moda lifestyle da Netshoes. Para quem trabalha com vestuário, mas não se encaixa em categorias esportivas, essa é uma boa opção para aproveitar os milhões de acessos que o Grupo Netshoes consegue atrair.

A Zattini também entrou na negociação com o Magazine Luiza, portanto, espera-se novidades neste marketplace. Por lá, já é possível encontar aplicação de cupons de desconto, entregas rápidas e vários outros benefícios para chamar a atenção dos consumidores. 

Saiba mais: Aprenda a Vender na Loja Zattini: Guia Rápido e Prático

10. OLX

A OLX é uma empresa global que lidera o mercado de marketplace C2C (consumer to consumer). Ela atua no Brasil desde 2010, quando se fundiu ao seu concorrente local, o Bom Negócio.

Na OLX, o consumo consciente é estimulado, conectando pessoas, além de conceder total autonomia ao comprador e ao anunciante.

Ao contrário de outros marketplaces, ela não se responsabiliza por intermediação de pagamentos ou envios. Fica tudo por conta do vendedor.

O interessante para quem vende moda online é que a OLX tem uma categoria voltada só para isso. Vale a pena conferir: Como anunciar na OLX e vender todos os dias

11. Enjoei

O Enjoei começou como um blog e, rapidamente, se tornou muito popular. Ao longo dos últimos anos, passou por uma série de investimentos até se consolidar como um dos maiores marketplaces para venda de roupas usadas.

A plataforma tem uma pegada mais descolada e foca, principalmente, em um público jovem. Além disso, trabalha a proposta de oferecer grandes marcas a preços mais acessíveis.

Se você é revendedor de marcas famosas ou aposta no nicho de usados, indico que teste o Enjoei para vender online. Falamos mais sobre isso no artigo: Como vender no Enjoei.

12. Elo7

Se a ideia é vender produtos artesanais e personalizados esse é o marketplace recomendado. O Elo7 nasceu em 2008 e, hoje, já conta com mais de 80 mil lojistas e 23 milhões de visitas mensais.

A plataforma conta com uma categoria dedicada a produtos de moda, desde roupas até acessórios, priorizando criações próprias e personalizadas. Para saber como vender por lá, leia: Aprenda como vender no Elo7 em 6 passos simples 

13. Americanas Marketplace

A Americanas Marketplace é uma gigante do Ecommerce, que nasceu da fusão entre Submarino, Shoptime e Americanas para se tornar líder do segmento de varejo online na América Latina.

São mais de 154 milhões de visitas únicas todos os meses e um tráfego altamente qualificado, tendo em vista a relevância das marcas no mercado.

Lá dentro, o visitante tem acesso a uma categoria só para moda, com milhares de produtos e marcas populares… e você pode se posicionar entre elas!

Quer saber como? Nós explicamos no artigo: Como funciona o marketplace da Americanas? 5 dicas para vender mais

14. Shein 

A Shein é um marketplace internacional que tem ganhado cada vez mais espaço no Brasil, se tornando um dos destinos mais óbvios para empreendedores que desejam vender no segmento de moda. 

Com uma variedade imensa de produtos, a Shein atrai consumidores que buscam tendências globais de moda, preços baixos e facilidade na compra. 

A plataforma é extremamente amigável para os vendedores, permitindo uma fácil navegação e gerenciamento de produtos. Grandes e pequenas marcas podem se beneficiar da visibilidade internacional que a Shein proporciona, alcançando consumidores de diversos países.

Neste artigo, detalhamos os passos necessários para quem deseja começar a vender no marketplace. Confira: Como vender na Shein e ter sucesso no marketplace? [PASSO A PASSO] 

15. Shopee

A Shopee, originária de Singapura, é outro marketplace que tem conquistado o público brasileiro, oferecendo uma vasta gama de produtos, incluindo moda e acessórios. A plataforma tem como diferencial a oferta de frete grátis e diversas promoções, atraindo uma grande quantidade de consumidores diariamente.

Marcas renomadas e vendedores independentes encontram na Shopee um ambiente propício para alcançar novos clientes e impulsionar suas vendas. A plataforma oferece uma interface intuitiva e diversas ferramentas de gestão de vendas, tornando o processo de comercialização mais eficiente.

A Shopee não cobra taxas de listagem de produtos, o que significa que os vendedores só pagam uma pequena comissão quando realizam uma venda: 12% sob o preço de cada produto + 2% de taxa de serviço + R$2 por item vendido.

🟠 Para saber mais sobre o assunto, leia: Como vender na Shopee do zero: vantagens, como montar uma loja e dicas 

Qual marketplace de moda escolher para começar?

Agora que você já conhece todos esses marketplaces, o primeiro passo é simples: escolha um para começar. 

Acesse todos, estude tudo sobre eles, converse com vendedores que estão por lá. Sim, invista tempo para conhecer muito bem cada um. Depois disso, você deve escolher apenas um para começar e dominá-lo.

Aqui estão alguns pontos que você pode levar em consideração nesse momento: 

  • Identificação do público: os vendedores devem identificar e entender seu público-alvo, considerando fatores demográficos, psicográficos e comportamentais;
  • Especialização do marketplace: alguns marketplaces são especializados em nichos específicos, como moda sustentável, roupas usadas ou artesanais. Escolher um que se alinhe ao seu nicho é essencial quando você não sabe por onde começar;
  • Presença de marcas similares: a  presença de marcas similares pode indicar um público-alvo compatível, mas também pode significar alta concorrência;
  • Estrutura de taxas: a análise da estrutura de taxas e comissões do marketplace é vital para entender a viabilidade financeira. Os vendedores devem calcular a margem de lucro após todas as despesas para garantir a rentabilidade no marketplace escolhido.
  • Avaliações e feedbacks: pesquisar avaliações e feedbacks pode fornecer insights sobre a reputação e a confiabilidade do marketplace;
  • Suporte ao vendedor: um bom suporte ao vendedor é crucial para resolver problemas e dúvidas de forma eficiente;
  • Volume de tráfego: marketplaces com alto volume de tráfego podem oferecer maior visibilidade e potencial de vendas.

💡 Neste ponto do artigo, contudo, você pode estar se perguntando: devo escolher apenas um marketplace? A nossa dica é que, num primeiro momento, você concentre as suas ações em apenas um deles. 

Isso vai te permitir ter o foco necessário para aprender a trabalhar com a plataforma, entendendo as suas particularidades. Depois de dominar um canal de vendas, parta para o próximo, tendo o mesmo cuidado na escolha. 

Repita esse processo até estar em todos os marketplaces que fizerem sentido para o seu negócio. Mas, lembre-se: focar em vários marketplaces ao mesmo tempo é tão ruim quanto focar em apenas um por tempo demais…

Ao dominar completamente uma plataforma, não se acomode. Não é saudável para o seu negócio depender de apenas um canal de vendas. Por isso, uma vez que a sua atuação nos marketplaces estiver consolidada, busque por alternativas, como um perfil comercial nas redes sociais e uma loja virtual própria. 

Aprenda a vender moda em qualquer lugar!

Os marketplaces, de fato, são excelentes opções para quem deseja começar a vender moda na internet. Contudo, você precisa saber que com o passar do tempo o seu negócio vai precisar de escalabilidade

Para isso, o mais indicado é que você diversifique os seus canais de venda, apostando na criação da sua loja virtual própria. Você precisa deixar de vender nos marketplaces? Não!

A ideia, como dito anteriormente, é pensar no crescimento da sua empresa por meio de um canal próprio, que é a loja virtual. 

E caso o seu foco seja moda masculina, nós temos uma dica: o curso Ecommerce de Moda Masculina!

Nele, você vai conhecer a metodologia de 4 etapas que já levou milhares de pessoas a começarem do zero e construírem negócios de sucesso vendendo roupas e acessórios na internet.

Perguntas Frequentes

O que é um marketplace moda?

Um marketplace de moda é uma plataforma online que conecta compradores e vendedores de produtos de moda, como roupas, calçados e acessórios. Como dito anteriormente, é uma espécie de shopping virtual onde várias marcas e lojistas podem vender seus produtos em um mesmo lugar.

Por que vender em marketplaces de moda?

Entre os principais motivos pelos quais os marketplaces são boas opções para os vendedores, estão: acesso a um grande público, baixo custo de entrada e ferramentas de gestão de vendas.

Quais são os melhores marketplaces para vender moda?

1. Mercado Livre; 2. Via Marketplaces; 3. Amazon; 4. Dafiti; 5. Kanui; 6. Tricae; 7. Magazine Luiza; 8. Netshoes; 9. Zattini; 10. OLX; 11. Enjoei; 12. Elo7 e 13. Americanas Marketplace.