O Código EAN é um número que serve para identificar cada produto de maneira única. É como se fosse uma "impressão digital" do produto, que permite que ele seja rastreado desde o momento em que é produzido até quando é vendido.

Ele é essencial para venda legalizada de qualquer produto, seja físico ou digital, e também para exportação. Por isso, se você trabalha com vendas, não pode ignorar a existência dele.

Neste artigo, vou explicar o que é o código EAN e como você pode fazer para gerar o seu código universal do produto. Veja!

O que é o código EAN?

O código EAN (European Article Number ou Número Europeu do Artigo, em português) é o que chamamos de código de barras. Ele é composto por 13 dígitos e é usado ao redor do mundo como código universal do produto. 

Basicamente, o EAN é como um “CPF” para um produto. Ele ajuda os lojistas - e demais profissionais que trabalham no varejo - a identificar os itens que serão precificados e, posteriormente, vendidos.

Para que serve o código EAN?

O código EAN serve para produtos os mais variados tipos de produtos que possam ser vendidos no varejo. Ele permite que os comerciantes, varejistas e fabricantes identifiquem seus produtos de maneira eficiente e gerenciem seus estoques de forma mais precisa.

Por regra, cada produto deve ter o seu próprio código EAN. Ou seja, se você vende uma chave de fenda básica e outra chave de fenda colorida, elas precisam ter códigos EAN distintos.

Da mesma forma, se você vende tamanhos diferentes de um produto, eles também devem ter códigos distintos. Um para o produto P e outro para o M, por exemplo.

É só a partir desta numeração que é possível identificar o que foi vendido e o que ainda tem em estoque. Se todos os produtos tivessem o mesmo código, isso seria uma bagunça, certo? Imagine para empresas com estoques gigantes…

Portanto, cada produto e variação de produto possui um EAN exclusivo e intransferível.

Como as empresas utilizam o código EAN na prática?

Em termos simples, as empresas utilizam o código EAN para identificar e controlar produtos, facilitando o gerenciamento de estoque, aprovação em marketplaces e melhorando a experiência de compra dos clientes.

Vamos explicar mais a fundo… 

Como você já sabe, o código EAN é único e intransferível. Isso facilita o gerenciamento e rastreamento de itens dentro de um grande grupo. Ao utilizar o código EAN, as empresas têm maior facilidade para aprovar e associar seus produtos às ofertas já cadastradas em plataformas de venda, o que agiliza a rotina. 

Outra forma de utilização é na organização do estoque, pois o código EAN auxilia na identificação precisa dos produtos, evitando erros de envio e facilitando a contagem e reposição de estoque. 

Além disso, o código EAN contribui para uma melhor experiência de compra do cliente, permitindo que eles encontrem o produto desejado de forma rápida. 

Como é formado o código EAN?

O código EAN é formado por 13 números e tem todas as informações relevantes sobre um produto. Elas são divididos da seguinte maneira:

  • País de origem (Amarelo) - 3 primeiros dígitos (o do Brasil é o 789);
  • Empresa Fabricante (Vermelho) - 4,5 ou 6 dígitos;
  • Produto por ela produzido (Rosa) - 3,4 ou 5 dígitos;
  • Dígito verificador (Branco) - 1 dígito.

A soma desses dígitos sempre resultará em um código de 13 dígitos.

Qual a diferença entre EAN, UPC e GTIN?

EAN (European Article Number), UPC (Universal Product Code) e GTIN (Global Trade Item Number) são códigos de barras usados em produtos para identificação e rastreamento em todo o mundo. Veja suas respectivas diferenças a seguir:

Código EAN

O EAN, como vimos, é um código universal composto por uma série de barras verticais escaneáveis e composto por 13 números.

Código UPC

Já o UPC significa Universal Product Code (Código Universal do Produto, em português), também conhecido como Global Trade Item Number (GTIN). Este é o código de barras dos Estados Unidos e do Canadá

Muitas pessoas confundem esse sistema de código de produto com o EAN. De fato, o propósito deles é o mesmo, mas há uma diferença primordial: o UPC tem 1 dígito a menos. Ou seja: tem 12 dígitos, enquanto o EAN tem 13.

Por isso, se os seus produtos serão exportados para um desses dois países, você deve gerar um novo código e alterar na embalagem.

Código GTIN

Já o GTIN significa Global Trade Item Number (Número Global do Item Comercial) e é um identificador para itens comerciais desenvolvido e controlado pela GS1, antiga EAN/UCC. 

Os GTINs, que antes eram chamados de códigos EAN, são direcionados para qualquer produto ou serviço que possam ser precificados, pedidos ou faturados. Entre suas principais diferenças dos outros códigos, está a possibilidade de ter os tamanhos 8, 12, 13 ou 14.

Sendo assim, vale ressaltar que hoje tanto os códigos EAN quanto UPC são chamados de GTIN. Logo, EAN e UPC, são GTIN 13 e GTIN 12, respectivamente.

Como o código EAN se diferencia dos outros?

O código EAN se diferencia dos outros códigos, como o UPC e o GTIN, pelo número de dígitos utilizados. O EAN possui 13 dígitos, enquanto o UPC tem 12 dígitos e o GTIN pode ter 8, 12, 13 ou 14 dígitos. Além disso, o EAN é amplamente utilizado como código universal de produto em todo o mundo.

Além da diferença no número de dígitos, o código EAN também se diferencia dos outros códigos pela sua aplicação geográfica. Enquanto o EAN é amplamente utilizado na Europa e em outros países ao redor do mundo, o UPC é mais comum nos Estados Unidos e no Canadá. 

Já o GTIN, que engloba tanto o EAN quanto o UPC, é um identificador global utilizado para produtos comerciais em geral, oferecendo flexibilidade na escolha do formato de dígitos de acordo com as necessidades de cada empresa. Essas diferenças garantem a universalidade e a eficiência do código EAN na identificação e rastreamento de produtos em diversos setores comerciais.

É obrigatório registrar o seu produto com um EAN?

Se você quer ter uma loja e empresa legalizada, então a resposta é sim, o EAN é obrigatório. O problema é que diversos microempreendedores deixam isso de lado por considerarem complicado e burocrático.

No entanto, ignorar o EAN pode ser um grande erro. Isso porque, hoje em dia, diversos marketplaces já consideram este um requisito obrigatório para cadastro do produto. O Americanas Marketplace é um deles, inclusive.  

Portanto, não ter um EAN pode limitar - e muito - o seu campo de ação.

Só que você só precisa se preocupar com isso se seu produto for de fabricação própria, uma vez que os códigos são gerados pelo fabricante.

Assim, se você revende produtos de terceiros, saiba que eles já chegam na sua casa ou escritório com o código universal do produto pronto.

Como saber o código EAN de um produto?

O código EAN de um produto é aquele que está localizado como código de barras na embalagem. A numeração de 13 dígitos abaixo é o EAN utilizado para o cadastro de produtos na plataforma de venda.

Confira um exemplo de código EAN na imagem:

código EAN

Quais são as vantagens de registrar produtos com código EAN?

O código EAN é uma obrigatoriedade daquelas que trazem muitas vantagens. Isso não só para a sua empresa, como também para a experiência do consumidor…

Vou te mostrar melhor as vantagens de trabalhar com EAN nos seus produtos:

1 - Aprovação em marketplaces

Como comentei anteriormente, a utilização do EAN em alguns marketplaces é obrigatória. Por exemplo, o Mercado Livre é um dos que exigem o código universal.

Mas este não é o único benefício… Com o cadastro do código, a aprovação do produto é feita com mais agilidade. 

Fora isso, o EAN ainda faz com que o seu item seja associado às ofertas já cadastradas com mais facilidade.

Assim, se o produto vende bem no histórico da plataforma, seu anúncio acaba ganhando maior relevância.

Essa é uma vantagem bastante interessante quando consideramos a grande concorrência dentro dos Marketplaces. Afinal, quanto mais destaque tiver o seu anúncio, maior é a chance de você fazer boas vendas.

2 - Organização do Estoque

Ter uma boa organização e controle do estoque é fundamental para qualquer Ecommerce.

Imagina só vender um produto online que você sequer percebeu que já esgotou. Seria um grande problema com o seu cliente e para o seu negócio.

Por isso, ter anotado absolutamente tudo sobre o seu estoque é tão importante. E gerar o código EAN pode fazer uma diferença nesse requisito.

Afinal, além de vender um produto que já acabou, pode acontecer de você enviar o produto errado por não saber identificá-lo.

Como o EAN tem justamente o objetivo de identificar os produtos, na hora de embalar eles para enviar, há menos chances de cometer um erro.

Organize o seu estoque com base no código EAN, assim, menos erros vão acontecer.

3 - Melhor experiência de compra

Com o cadastro do EAN, a pesquisa por um item específico fica muito mais simples.

Isso porque o cliente pode fazer uma busca comparativa usando o próprio código, por exemplo, de modo que vai encontrar o produto de interesse mais rápido.

Pense só: alguns produtos são tão semelhantes que é difícil diferenciar só de vista. Eletrônicos são ótimos exemplos disso, inclusive.

Às vezes você gosta de um telefone e, quando vai buscar novamente, vê diversos aparelhos semelhantes, o que pode gerar dúvida na hora da compra.

Quando a pesquisa é feita direto pelo código EAN, a chance de erro é mínima, porque o resultado da sua pesquisa será mais preciso.

Leia também: Como melhorar a experiência de compra do cliente na sua Loja

4 - Diminuição de trocas e devolução

Se tem uma parte do Ecommerce que pode gerar dor de cabeça é ter que lidar com as trocas e devolução. Por isso, é importante evitar ao máximo a insatisfação do cliente

No exemplo acima, falamos sobre como é complicado fazer a diferenciação. Neste caso, se a pessoa perceber que comprou o produto errado, vai acabar devolvendo. 

Por isso, se você trabalhar com código de barras e identificar todos os produtos individualmente, vai diminuir a quantidade de pessoas que compram os itens por engano. E, consequentemente, vai diminuir o volume de trocas e devoluções.

Leia também: Aprenda como definir uma política de troca e devolução que funciona

Como gerar um código EAN e UPC?

Como falei antes, se você produz os seus próprios produtos, você precisa gerar o seu próprio código. E isso é mais fácil do que parece!

Você pode comprar um código digitando apenas algumas informações. Aqui no Ecommerce na Prática, nós disponibilizamos pacotes com de 50 a 1000 códigos neste link. Em seguida, você os recebe por email.

Lembre-se que é um código individual para cada produto. 

Além disso, você pode ter acesso aos seus códigos de barra através da GS1 Brasil (Associação Brasileira de Automação), uma associação sem fins lucrativos.

Através deste link, você pode:

  1. Preencher o cadastro da empresa online;
  2. Enviar documentação solicitada após cadastro;
  3. Pagar boleto da anuidade;
  4. Gerar o código de barras.

Os documentos pedidos são:

  • Última Alteração Contratual consolidada, com cláusula de gerência, determinando pessoas autorizadas a assinar pela mesma ou Requerimento de Empresário;
  • Registro Y540 (último exercício) ECF, Balanço com DRE ou Extrato Simples Nacional;
  • CNPJ

Se você é MEI, deverá incluir na lista de documentos necessários: o Certificado da Condição de Microempreendedor Individual, o extrato do Simples Nacional (SIMEI), a cópia do RG, CPF e o comprovante de endereço.

Após o pagamento do boleto, sua empresa receberá um software desenvolvido pelo GS1 Brasil. Esse sistema vai gerar os códigos de barras para seus produtos.

Para poder imprimir esses códigos e colar nos produtos, você vai precisar de uma impressora e de um leitor de código de barras.

Com o leitor, as informações poderão ser transferidas para o seu sistema de gestão.

Qual o melhor: EAN, UPC ou GTIN?

A escolha por qual código usar vai depender dos objetivos do seu negócio. Como dito anteriormente, em 2005, a GS1 promoveu a união dos padrões EAN e UPC, criando um novo chamado de GTIN. 

Logo, entre as opções existentes, passaram a existir o GTIN 13 (EAN) e o GTIN 12 (UPC), que possuem aplicações distintas...

O UPC, por exemplo, é o código de barras dos Estados Unidos e do Canadá. Contudo, desde meados dos anos 2000, Canadá e Estados Unidos adotaram o código EAN para identificar seus produtos.

Dessa forma, a definição do melhor código está diretamente ligada às necessidades da sua empresa. E nós sabemos que entender o que é EAN e os demais códigos é algo muito importante para vender online… 

Contudo, existem muitos outros temas que você precisa dominar para que seu empreendimento seja um sucesso. E é claro que nós podemos te ajudar nisso!

Em nossa plataforma de educação para empreendedores nós te ensinamos tudo sobre o universo das vendas online. Assine agora e tenha acesso a todo suporte que você precisa para levar o seu negócio ao sucesso. 

Conheça um pouco mais sobre a plataforma aqui:

Perguntas Frequentes

O que é o código EAN?

O EAN (European Article Number) é o que chamamos de código de barras. Ele é composto por 13 dígitos e é usado ao redor do mundo como código universal do produto.

O que é o código UPC?

O código UPC significa Universal Product Code (código universal do produto, em português), também conhecido como Global Trade Item Number (GTIN). Este é o código de barras dos Estados Unidos e do Canadá.

O que é o código GTIN?

O código GTIN significa Global Trade Item Number (Número Global do Item Comercial) e é um identificador para itens comerciais desenvolvido e controlado pela GS1, antiga EAN/UCC.

É obrigatório registrar o produto com EAN?

Se você quer ter uma loja e empresa legalizada, então a resposta é sim, o EAN é obrigatório.

Como é composto o código EAN?

O código EAN é composto por: 1. País de origem (Amarelo) – 3 primeiros dígitos (o do Brasil é o 789); 2. Empresa Fabricante (Vermelho) – 4,5 ou 6 dígitos; 3. Produto por ela produzido (Rosa) – 3,4 ou 5 dígitos; 4. Dígito verificador (Branco) – 1 dígito.