A China e o Brasil são dois parceiros comerciais de longa data. E não à toa: as condições comerciais do comércio chinês são muito vantajosas. Quer saber como vender produtos da China em seu Ecommerce? Neste artigo te ensinamos como… 

Muitas pessoas que desejam começar no comércio eletrônico ficam na dúvida sobre quais são os produtos mais vantajosos para se revender. E esse é um questionamento muito válido, afinal, ter um bom produto já é meio caminho andado para o sucesso no Ecommerce.

Por conta de preços mais baixos e produtos diferenciados, empreendedores de todo o Brasil encontram na China alguns de seus principais fornecedores. 

Apesar de ser uma atividade extremamente lucrativa, a venda de produtos importados da China precisa ser feita com muito cuidado. Caso contrário, o que era pra ser um diferencial vantajoso acaba se tornando uma grande dor de cabeça – tanto para você quanto para o seu cliente.

Por isso, neste artigo, vamos mostrar algumas ideias de produtos da China para revender e os principais cuidados que você deve ter ao vender produtos do exterior. 

Por que vender produtos da China?

Vender produtos da China é interessante por conta de suas condições comerciais altamente vantajosas, com preços competitivos e uma ampla variedade de produtos diferenciados

Além disso, os custos de produção na China geralmente são mais acessíveis, permitindo que os empreendedores aumentem suas margens de lucro. Também chama a atenção pela capacidade de acessar produtos que muitas vezes são novidades no mercado brasileiro

Querendo ou não, isso confere um diferencial competitivo, fazendo com que os empreendedores possam oferecer aos clientes produtos exclusivos e inovadores, contribuindo para a construção de uma marca distintiva.

Como vender produtos da China: 7 cuidados essenciais 

Importar produtos, seja da China ou de qualquer outro país, é um processo que pode ser muito vantajoso do ponto de vista financeiro, mas que requer alguns cuidados. A seguir, vamos mostrar os principais pontos de atenção para vender produtos da China… 

1. Estude as leis para importação

Ao contrário do que muitos pensam, a importação é um processo completamente legalizado. Tanto que existem diversas leis para regulamentar a prática. Sendo assim, o primeiro passo a ser tomado é estudar profundamente as leis de importação e as leis do Ecommerce.

Nós indicamos que você invista em fontes de informação confiáveis. Um bom portal para estudos nesse sentido é o Sebrae. No site, você encontra materiais completos sobre o assunto, além de centrais de atendimento que podem ajudar a esclarecer suas dúvidas.

Nós também temos um curso completo sobre o assunto, mas falaremos mais sobre ele daqui a pouco… 

2. Escolha bem os seus fornecedores 

A escolha dos fornecedores é essencial para o funcionamento de um Ecommerce. Quando tratamos de produtos importados, essa escolha se torna ainda mais importante, já que os fornecedores se encontram do outro lado do planeta.

Recomendo que, para encontrá-los, busque sites reconhecidos que apresentem os preços mais acessíveis para importar. Listamos alguns aqui para te ajudar:

  • Alibaba: produtos diversos, em quantidades maiores;
  • AliExpress: produtos variados, em quantidades menores;
  • MiniInTheBox: produtos variados;
  • GearBest: produtos diversos com foco em eletrônicos.

Ao entrar em algum dos sites acima para fazer a procura por fornecedores, se atente às suas avaliações. Empresas com avaliações baixas têm maior tendência a atrasos na entrega ou um serviço ruim.

Em seguida, entre em contato antes de realizar uma compra para conferir a disponibilidade dos produtos e a forma de entrega para o Brasil.

Faça isso com todos os possíveis fornecedores, de modo que você tenha em mãos todas as informações necessárias para fazer a escolha certa.

Ao escolher, comece com pedidos pequenos para testar a qualidade do serviço e conferir se os produtos são entregues dentro do prazo e sem danos.

E lembre-se, sempre: suspeite de promessas e condições que parecem boas demais para ser verdade. 

Somente assim você fica blindado de falsas promessas de lucros exorbitantes. Na maioria das vezes, elas funcionam através de sonegação de imposto, o que gera consequências graves para quem pratica.

3. Defina a modalidade de importação

A modalidade de importação afeta a lucratividade do negócio e também a estruturação das vendas. Essa é a parte mais importante do processo de vender produtos da China na internet.

É necessário estudar e avaliar a opção mais vantajosa para os objetivos do negócio. Ela deve estar de acordo com o orçamento disponível para investimento.

Existem 4 formas de importação no Ecommerce:

3.1 Dropshipping

O dropshipping é um modelo logístico que permite a terceirização da venda de produtos. Nesse modelo, o fornecedor é o responsável por armazenar e enviar os itens diretamente para o cliente da sua loja. 

Em outras palavras, o lojista fica encarregado da parte operacional da loja virtual. Todos os processos relacionados ao armazenamento e envio do produto ficam sob responsabilidade do fornecedor. 

No caso de produtos importados, o tempo de entrega deve ser devidamente informado ao cliente. Esse é um modelo bastante lucrativo, mas que requer alguns cuidados. 

💡 Para ajudar empreendedores que querem usar a modalidade de dropshipping, nós criamos o Guia de Dropshipping. No documento você vai encontrar o passo a passo para começar do zero. Para baixar, clique aqui

3.2 Importação direta

Na importação direta, você faz a compra diretamente com o fornecedor da China. Quando a mercadoria chega ao Brasil, precisa ser estocada.

Para fazer isso, a sua empresa precisa, primeiro, estar habilitada junto à Receita Federal para realizar a importação direta. Dessa forma, as etapas desse modelo são as seguintes:

  • Habilitação do Radar do importador (autorização para importar);
  • O importador estuda os produtos e fornecedores;
  • O importador entra em contato e negocia com os fornecedores escolhidos;
  • O fornecedor é pago e começa então o processo de envio da mercadoria.

A importação direta apresenta vantagens consideráveis, como preservar o contato com o fornecedor para operações de médio a longo prazo. 

Também é possível ter uma margem maior de negociação de preços e definir uma logística de entrega que reduza custos.

Se feita de uma maneira profissional, a importação direta possibilita o desenvolvimento da equipe interna e exclui intermediários no processo de importação.

Há, no entanto, algumas dificuldades que esse modelo pode apresentar… Como o desconhecimento dos mercados fornecedores, dificuldades de comunicação e negociação e falta de histórico de importação.

Por isso, se você optar por essa forma de importação, é muito importante que estude bem o mercado. Assim poderá negociar sabendo exatamente o preço praticado.

Esses empecilhos podem ser reduzidos se a empresa contar com o apoio de profissionais e empresas especializadas na área de comércio internacional.

3.3 Importação indireta (Trading)

Nesse modelo, uma empresa mediadora fica responsável pela importação do produto, ajudando e agilizando o processo.

Essa empresa poderá ter a exclusividade da operação do produto desejado ou ser apenas um facilitador (intermediário entre o importador e o exportador).

Nesse caso, toda a operação de importação é coordenada pela empresa intermediária, desde a autorização para importar até a coordenação do embarque.

Uma das vantagens do trading é que a empresa intermediadora pode ter um poder de barganha maior sobre o fornecedor, uma vez que já está familiarizada com o mercado.

Além disso, o intermediador terá maior facilidade com comunicação, negociação e conhecimento dos processos burocráticos característicos das operações de importação.

Uma desvantagem, no entanto, é que contar com uma intermediadora pode resultar na perda de controle do processo de importação, além de não poder estabelecer contato direto com os fornecedores.

3.4 Importa Fácil

Essa é, talvez, a solução mais indicada para empreendedores que desejam entrar no mercado de importação e revenda de produtos da China.

Esse modelo nada mais é que um serviço disponibilizado pelos Correios, que permite a importação de até US$ 3 mil em mercadorias, desde que não ultrapasse 30 quilogramas por remessa.

Para usar esse serviço, basta solicitar que o fornecedor faça a postagem no exterior em uma modalidade postal na qual a importação chegue diretamente nos Correios do Brasil.

🚢 Nós falamos em maiores detalhes sobre a importação da China neste guia, confira: Como importar da China? [GUIA COMPLETO]

4. Defina meios seguros de pagamento

Uma das principais diferenças para as empresas que vendem produtos da China é o pagamento das compras em moeda estrangeira

A mais comum é o dólar, mas alguns fornecedores trabalham com o pagamento em euro também. Varia de acordo com o parceiro comercial escolhido. 

Nesse caso, muitas empresas optam pelo uso do cartão internacional, já que esse é um método bastante seguro. Apesar disso, é importante se atentar para as taxas praticadas pelas operadoras de cartão e a cotação da moeda escolhida, já que esses são fatores que podem comprometer a lucratividade da transação. 

Algumas lojas aceitam até mesmo o pagamento via boleto. Esse é um método de pagamento bem seguro, desde que o fornecedor seja de confiança. Por isso, use esse método apenas depois de conhecer o parceiro comercial e assegurar que sua operação é legítima. 

5. Use as redes sociais para fazer a divulgação

A divulgação de loja, seja ela focada em importação ou não, é essencial para o seu sucesso. E você pode completar esse processo por meio das redes sociais – tanto com as postagens orgânicas quanto com a mídia paga

Investir em anúncios no Instagram ou Facebook é essencial para levar a mensagem da sua loja para outros perfis de cliente, expandindo o seu alcance entre um público pouco explorado. Essa é uma ótima maneira de atrair novos compradores para sua loja. 

E a boa notícia é que você não precisa gastar muito dinheiro para fazer isso! Plataformas como o Facebook Ads, por exemplo, oferecem um grande controle do orçamento e podem rodar campanhas a partir de US$ 1.

Também é por meio do Gerenciador de Negócios do Facebook que você cria catálogos de produtos no Instagram e pode marcar os itens em publicações. Isso dá aos seus seguidores mais oportunidades de comprar, mesmo quando estão navegando nas redes sociais. Essa é uma estratégia muito interessante!

📢 Nós falamos mais sobre o processo de divulgação aqui: Novidades chegando na loja? Saiba como aproveitar e vender mais.

6. Teste os produtos

Um outro cuidado que você deve ter é o seguinte: testar os produtos que deseja vender. Pense bem… você não quer oferecer itens de baixa qualidade para os seus clientes, não é mesmo? 

Muitos fornecedores já sabem disso e estão dispostos a vender um lote de teste, para que você entenda a qualidade dos produtos. Em alguns casos, no entanto, pode ser necessário negociar a compra de um número reduzido de itens… 

De qualquer forma, não pule essa etapa! Ela é essencial para garantir uma boa experiência de compra para o cliente.

7. Faça os pedidos com antecedência

Essa é uma dica especialmente importante para lojistas que desejam fazer campanhas durante datas especiais, como o Dia do Cliente, Dia das Mães, Natal, Black Friday e outras datas do calendário comercial

Para garantir que os produtos vão estar em seu estoque na data certa, o mais indicado é que você faça os pedidos com antecedência. Lembre-se de que, um dos pontos fracos de vender produtos da China é o prazo de entrega estendido. 

O mesmo serve para produtos sazonais. Você não deve começar a pensar na sua coleção de inverno, por exemplo, quando as temperaturas começam a baixar. Para vender produtos da China com sucesso, é importante que você tenha uma boa dose de planejamento. 

Qual a taxa para vender produtos da China?

Embora vender produtos da China seja mais barato devido aos baixos custos de produção, existem algumas taxas que precisam estar no radar do empreendedor.

Segunda o Programa Remessa Conforme, do governo federal, desde o dia 1º de agosto de 2023, mercadorias estrangeiras com valor inferior a US$ 50 (cerca de R$ 240) ficarão isentas do imposto de importação, desde que as plataformas façam adesão a um plano de conformidade da Receita Federal. 

No entanto, mesmo com a isenção do imposto de importação, haverá o pagamento do imposto estadual, o ICMS, que terá uma alíquota única nacional de 17%. Isso significa que, mesmo que um produto custe menos de US$ 50 e esteja isento do imposto de importação, ainda será cobrado o ICMS sobre o valor da venda.

Para compras acima de US$ 50, a tributação de 60% do imposto de importação permanece em vigor, além do ICMS de 17%. Portanto, ao vender produtos da China, é importante levar em consideração essas taxas e impostos para garantir que o negócio seja lucrativo. Para calcular as taxas, acesse a calculadora gratuita da FGV.

50 produtos da China para revender

Bom, agora que você conhece mais um pouco sobre as modalidades de importação disponíveis, é hora de falarmos sobre os melhores produtos da China para revender. 

Como sempre, deixamos o aviso: os produtos vendidos no seu Ecommerce devem seguir o seu planejamento de marca, sua persona e nicho de mercado

Os itens listados a seguir estão em alta nos últimos anos e podem ser fonte de muitos lucros para sua empresa.  Esperamos que essa lista sirva de inspiração! 

Veja só: 

1. Produtos para casa

Não é nenhuma novidade que, de uns anos para cá, as pessoas começaram a passar mais tempo em casa. Nesse contexto, é evidente que o investimento em produtos que tornem o lar mais aconchegante ou funcional aumentou. 

Isso sem contar o fortalecimento do home office, a modalidade de trabalho remoto que se popularizou muito nos últimos anos e alavancou as vendas de itens de escritório, itens de papelaria e mais. 

De acordo com dados divulgados no NuvemCommerce 2022, estudo promovido pela Nuvemshop, o segmento de Casa e Decoração teve um ticket médio de R$ 409, representando um dos maiores do setor. 

Algumas ideias de itens para revenda dentro desse segmento são: 

  • Itens decorativos;
  • Ganchos funcionais;
  • Quadros e pinturas; 
  • Abajures e luminárias;
  • Tapetes;
  • Almofadas;
  • Cortinas;
  • Relógios de parede;
  • Jogo de cama
  • Cestos de organização. 

2. Itens de saúde e bem-estar

Outra notável tendência dos últimos anos foi o aumento da preocupação com a saúde. Isso levou muitas pessoas a adotar hábitos de vida diferentes, começar novos hobbies e cuidar mais de si mesmos. 

Dentro dessa categoria estão os itens esportivos, por exemplo. De acordo com o estudo NuvemCommerce 2022, as lojas dos segmento Saúde foram algumas das que mais movimentaram vendas no ano, marcando 8,3%.

Veja algumas ideias de produtos para revender nessa categoria: 

  • Equipamentos de natação;
  • Maiôs, biquínis e sungas; 
  • Bolsas esportivas;
  • Tapetes de yoga;
  • Luvas para musculação; 
  • Acessórios para bicicletas; 
  • Itens de cuidados com a pele;
  • Produtos para cabelo;
  • Acessórios para pesca;
  • Acessórios para unhas. 

3. Produtos para pets

Ainda de acordo com o estudo da Nuvemshop, o segmento de acessórios e produtos para animais de estimação teve uma alta de 56% no faturamento durante 2021. No total, o período também registrou uma alta de  48% nos pedidos. 

Esse é um segmento muito interessante, visto que seus compradores costumam fazer compras motivadas pela emoção, o que pode contribuir para o aumento do ticket médio. Alguns dos principais produtos da China para revender dentro desse segmento são: 

  • Camas;
  • Acessórios e utensílios para banho e tosa;
  • Bebedouros e comedouros;
  • Coleiras, guias e demais acessórios para passeio;
  • Brinquedos;
  • Roupas para pet;
  • Acessórios para aquários; 
  • Bolsas e cestos de viagem;
  • Tags de coleira;
  • Tapetes higiênicos;

Se este assunto te interessa, recomendamos essa leitura: Mercado Pet: um universo a ser explorado no Ecommerce

4. Acessórios para eletrônicos

É difícil encontrar quem não tenha um celular hoje em dia. Os smartphones, dentre muitos outros aparelhos, fazem parte da nossa rotina e esse pode ser um mercado bem lucrativo para o seu Ecommerce. 

Vale lembrar também que esses são produtos com alto valor agregado, o que pode ajudar a sua empresa a alcançar um público mais qualificado e específico. 

Veja agora algumas ideias de produtos da China para revender dentro segmento de eletrônicos: 

  • Acessórios para notebooks;
  • Acessórios para tablets e celulares;
  • Bolsas e capas para notebooks;
  • Pen drives;
  • Cartões de memória;
  • HDs externos;
  • Gabinete HDD ou SSD;
  • Baterias e carregadores;
  • Capinhas de celular;
  • Películas. 

5. Acessórios de moda

O segmento de acessórios para moda feminina e masculina também está sempre aquecido! E, além da alta procura, esse é um mercado com muita variedade, sobretudo nos sites de importação da China. 

Algumas ideias de produtos dentro do segmento são: 

  • Bolsas;
  • Óculos de sol;
  • Luvas;
  • Chapéus e toucas;
  • Anéis;
  • Relógios;
  • Cordões; 
  • Brincos; 
  • Berloques para pulseiras;
  • Tornozeleiras.

💍 Leia também: Bijuterias para revenda: saiba como escolher fornecedores.

Vantagens e desvantagens de vender produtos da China

Agora que você conhece um pouco mais sobre como vender produtos da China, quais os itens mais vantajosos e quais os cuidados que você deve tomar, vamos te mostrar também algumas das vantagens e desvantagens da prática comercial

Veja! 

Vantagens de vender produtos da China

  • Maior variedade na escolha dos produtos; 
  • Preços mais baixos;
  • Acesso a produtos que são novidade no mercado brasileiro; 
  • Margens de lucro maiores.

Desvantagens de vender produtos da China

  • Tributação sobre a compra; 
  • Prazo de entrega estendido; 
  • Produtos não têm garantia, na maior parte dos casos;
  • Requer maiores cuidados na escolha de fornecedores. 

Aprenda a importar da China e lucre muito! 

Como você viu neste artigo, comprar produtos da China para revender é uma excelente oportunidade de negócio. Como os produtos vindos de lá são mais baratos, importá-los para vender na internet é ótimo para aumentar os lucros da sua empresa.

Além disso, vender produtos da China também é uma forma de se diferenciar da concorrência, uma vez que algumas mercadorias de lá não são encontradas em fornecedores nacionais.

Ainda assim, é preciso ter cuidado… 

Como falamos anteriormente, o processo de comprar produtos da China para revender é regulamentado por diversas leis e conhecê-las é a forma mais simples de evitar dores de cabeça. 

Foi para ajudar empreendedores como você, que desejam saber como vender produtos da China na internet, que criamos o treinamento Importação da China.

Disponível em nossa plataforma de educação por assinatura, o curso ensina sobre: 

  • Custos;
  • Fornecedores;
  • Preparativos para embarque; 
  • Desembaraço aduaneiro;
  • Logística;
  • E mais! 

As aulas são ministradas por Rodrigo Geraldelli, CEO da China Gate e grande especialista em importação da China. Para começar as aulas, assine o Ecommerce na Prática!

Perguntas Frequentes

Qual o melhor site para importar produtos da China?

Alguns dos melhores sites para importar produtos da China são: Alibaba, GearBest, Aliexpress, BangGood e MiniInTheBox.

Como ganhar dinheiro vendendo produtos chineses?

Encontre um produto com baixo custo e alto valor agregado; busque por fornecedores bem avaliados; anuncie os produtos em seu marketplace ou loja virtual e faça anúncios para atrair público.

O que vale a pena importar da China para revender?

Você pode optar por vender acessórios para eletrônicos, roupas, joias e bijuterias, acessórios para pets, produtos para casa ou itens de saúde e bem estar. A variedade de fornecedores da China é gigante!

Qual o valor máximo que posso importar da China?

As importações têm um teto de US$ 3 mil para pessoas físicas e R$ 64.800,00 para MEI.

Qual o imposto de importação da China?

O valor do imposto sobre importação varia de 0% a 60%, dependendo do valor total da compra, também chamado de valor aduaneiro. Existem ainda taxas que variam de acordo com o estado de destino, como o ICMS.

Como vender produtos chineses?

Estude as leis de importação e as leis do Ecommerce, escolha bem os seus fornecedores e escolha o modelo de importação mais adequado. Os mais populares são o dropshipping, a importação direta ou indireta e o Importa Fácil.