Vender online tem se tornado uma saída cada vez mais popular para aqueles que querem aumentar a renda. O problema é que, em meio a tantas opções, nem sempre fica claro como começar a trilhar este caminho. E é justamente neste ponto que entra a possibilidade de vender sem estoque.

Já para matar a sua curiosidade, adiantamos que entre as principais opções para você vender sem estoque, estão:

  • Dropshipping;
  • Programa de afiliados;
  • Venda de infoprodutos;
  • Venda sob demanda;
  • Parceria com fornecedores locais.

E, ao longo deste artigo, vamos mostrar detalhes de cada uma dessas opções para quem quer ganhar dinheiro na internet sem precisar pensar em Correios, entregas e todos os outros pontos que integram a logística de um negócio. 

Para começar, te convidamos a assistir a este vídeo. Nele, Babi Tonhela, especialista e consultora de Ecommerce, mostra 3 alternativas para você que quer começar a vender sem estoque. Assista agora:

O que é estoque?

O estoque nada mais é do que o armazenamento de mercadorias para a otimização do gerenciamento de toda a logística de uma empresa.

Nele, o lojista e colaboradores organizam os produtos para que não haja excesso ou ausência dos itens desejados pelos consumidores por meio do controle de estoque

Essa gestão do estoque é importante para evitar que quaisquer problemas ligados aos produtos afetem o fluxo de caixa da empresa. Uma loja sem estoque, por sua vez, não precisa lidar diretamente com essas questões

Vamos explicar em mais detalhes como elas funcionam a seguir… Continue a leitura!

Como funciona uma loja sem estoque?

O funcionamento de uma loja sem estoque vai variar de acordo com o tipo do negócio. Em um empreendimento que funciona sob demanda, o investimento em estoque é feito à medida que os clientes fazem compras. 

Enquanto isso, em um empreendimento de dropshipping, o lojista nunca chega a investir no estoque, já que o fornecedor é o responsável por armazenar e enviar os itens. 

E, quando falamos em empresas que vendem infoprodutos, o funcionamento acontece de forma completamente diferente, já que os produtos não precisam de um espaço físico para ser armazenado. 

A seguir, vamos te indicar dois artigos que podem ajudar a entender melhor como cada uma dessas modalidades funciona: 

Também vamos falar um pouco mais sobre o funcionamento de cada uma dessas modalidades abaixo, confira!

Como vender sem estoque? Conheça os tipos de lojas online sem estoque

Existem algumas boas possibilidades quando o assunto é como vender sem estoque e você, que está interessado nesse assunto, precisa conhecer em detalhes cada uma delas. Veja só:

1. Venda por dropshipping

Vamos começar a lista com o modelo que vem recebendo muita atenção nos últimos anos. O dropshipping é uma forma de vender online, na qual a parte de gestão de estoque e entrega do produto fica sob responsabilidade do fornecedor.

Ele funciona da seguinte maneira:

O cliente entra na loja virtual, escolhe um produto “x” e realiza a compra. Em seguida, de maneira automatizada, a loja repassa o pedido ao fornecedor com quem tem parceira.

O fornecedor, então, faz a embalagem e envia o produto ao destino final. Pronto, é simples assim.

O lojista fica encarregado apenas da parte operacional da loja virtual. E como só há a necessidade de comprar o produto do fornecedor quando tem alguma demanda de cliente, é um modelo mais barato do que um Ecommerce convencional.

Caso você queira se aprofundar mais no assunto, sugerimos a leitura deste artigo: Como fazer dropshipping e começar sua própria loja

Vantagens do Dropshipping:

  • Baixo custo inicial: no dropshipping, é impossível ter produtos parados que não vendem. O lojista apenas compra do fornecedor à medida que as pessoas concluem a transação na sua loja. Por isso, tem um custo mais baixo;
  • Maior agilidade para implementar mudanças: como o lojista não tem os produtos que vende em estoque, pode rapidamente tirar do catálogo aqueles que perceber que não estão vendendo e substituí-los por outros;
  • Maior leque de produtos: no dropshipping, você pode oferecer uma variedade enorme de produtos aos seus clientes, uma vez que não precisa se preocupar com espaço e custo de estoque. Em uma loja convencional, oferecer muitos produtos pode ser arriscado, pois há mais chances de que algum não venda;
  • Facilidade operacional: como toda a parte de embalagem e envio dos produtos fica por conta do fornecedor, o lojista pode investir seu tempo em outros fatores do Ecommerce, deixando ele sempre com uma cara profissional.

Só que quando você terceiriza o processo de estocagem e envio dos produtos, administrar uma loja virtual fica um pouco mais complicado, principalmente pensando em controle de estoque.

Para solucionar essa questão, você precisa ter uma loja virtual que possa ser integrada com o estoque dos fornecedores que você escolhe para fazer dropshipping. Caso você não tome essa providência, é bem provável que você venda um produto que não está disponível no estoque, por não ter esse controle e integração entre plataformas.

O lado bom dessa história é que já existem boas plataformas de Ecommerce que integram com grandes empresas conhecidas por fazer dropshipping, como a AliExpress. Exemplo disso, temos a Nuvemshop, que permite a integração, dando maior controle do negócio ao lojista.

Riscos de vender com Dropshipping:

  • Atraso de entrega: como toda a parte de embalagem e envio dos produtos fica por conta do fornecedor, o lojista acaba ficando refém dele. Se algo der errado, o cliente não vai querer saber de quem é a culpa, vai logo em cima do lojista;
  • Trocas e devoluções: outro risco desse modelo é que o lojista nunca tem a certeza de que os produtos estão sendo embalados e enviados corretamente pelo fornecedor. Caso seja necessária uma troca ou devolução, o cliente vai reclamar diretamente com o lojista, que vai ter que se virar para resolver o problema;
  • Sincronização de catálogo: a loja pode até não precisar de estoque, mas o fornecedor precisa ter o produto oferecido à disposição. Por isso, uma comunicação clara e constante entre lojista e fornecedor é fundamental, para que não sejam colocados à venda produtos esgotados;
  • Ilegalidade: o dropshipping aqui no Brasil é legal, desde que cumpra uma série de pré-requisitos estabelecidos pela legislação. O problema é que muitos dos sites que operam dessa maneira fazem isso incorretamente, o que acaba se tornando ilegal.

Se você quer saber tudo sobre dropshipping, veja esse vídeo que o Bruno de Oliveira, maior especialista em Ecommerce do Brasil, fez.

2. Trabalhe como afiliado

Seguindo a nossa lista, vamos falar sobre a venda como afiliado. Esse é um jeito bem mais simples do que o modelo de dropshipping de se vender online sem estoque.

Basicamente, funciona assim:

O afiliado cria um blog, um canal no Youtube ou algo parecido, disponibiliza links nas suas páginas, que levam os clientes a outras páginas onde podem comprar o produto oferecido pelo link e ganha comissões a cada venda realizada.

Esse produto é feito, estocado, embalado e enviado por outra pessoa completamente diferente. Ou seja, o afiliado não tem trabalho nenhum relacionado ao produto. Ele ganha comissões a cada venda feita pelo link que disponibilizou no seu site.

Vamos dar um exemplo:

Digamos que você tenha um blog que aborda tudo sobre o mundo fitness. Lá você fala sobre malhação, dietas, acessórios esportivos…

Uma marca que vende suplementos olha para seu site e percebe que ali tem muitos possíveis clientes, que acompanham o seu conteúdo diariamente.

O dono dela, então, chega e pede para você vender algum dos seus suplementos no seu site. É criado um link que, a cada venda efetuada, resulta em uma comissão para você. É simples assim!

Esses links são codificados para que toda vez que uma venda for realizada, seja identificado que a conversão foi feita pelo afiliado.

Mas o que você precisa entender é que não basta simplesmente jogar o link e esperar alguém comprar. Ele precisa ter conexão com seu conteúdo e precisa que tenha visitantes que possam clicar nele.

Por isso, para ganhar dinheiro como afiliado, o mais importante é ter tráfego no site. Sem ele, não há vendas convertidas pelos links. E sem vendas, não há comissão. Tem lojas que têm serviço de afiliação, como a Saraiva.

Fora que a maioria dos afiliados que ganham dinheiro operam com produtos digitais.

3. Vender infoprodutos

Já pensou em vender infoprodutos? Os produtos digitais são uma realidade e existem milhares de pessoas que vendem esse tipo de mercadoria online.

É possível criar produtos como esses de vários nichos diferentes. E como são digitais, obviamente não existe estoque.

Apesar de ser possível fazer um infoproduto sobre qualquer coisa, há alguns nichos que se destacam:

  • Negócios e carreira: materiais desse nicho ajudam na capacitação profissional das pessoas. Cursos sobre marketing digital, administração, contabilidade, vendas e artesanato são exemplos de cursos que entram nessa categoria;
  • Saúde e Esporte: hoje, cada vez mais pessoas têm uma preocupação maior com a saúde. Isso fez com que profissionais da saúde e de educação física começaram a produzir conteúdo para o meio digital. Receitas de lanches fit, guias para hipertrofia, orientações para melhorar a postura e exercícios para praticar em casa são alguns dos temas abordados nesse segmento;
  • Educação: o ramo de educação vai ser sempre uma boa opção para produtos digitais. Hoje, vemos a todo momento faculdades abrindo cursos a distância como opção para alunos que moram longe. Os avanços tecnológicos permitem alunos e especialistas a se aproximarem de alunos de todo o mundo. Técnicas de aprendizado para vestibular e concursos, cursos de idiomas e métodos de leitura são exemplos de infoprodutos de educação;
  • Desenvolvimento pessoal: esse nicho tem o objetivo de desenvolver o potencial humano de acordo com o comportamento que cada pessoa apresenta. Cursos para elevar a autoestima, aprimorar a produtividade, definir metas e propósito e como se motivar são exemplos de produtos digitais desse segmento.

4. Venda sob demanda ou just in time

As vendas sob demanda – ou just in time, como também são chamadas – são uma ótima maneira de se vender online sem estoque. Artistas e empresas do segmento de moda utilizam esse método a todo momento, pois é possível colocar sua marca em praticamente qualquer produto, como camisas, pôsteres, mochilas e livros.

Quando falamos da produção de itens impressos sob demanda, o processo funciona mais ou menos assim:

Você contrata os serviços de um parceiro, que tem contrato com fabricantes para customizar produtos sem marca (como bonés, camisetas ou bolsas de pano) de acordo com criações próprias da sua loja. Depois que são finalizados, eles são vendidos com o selo da sua marca.

Dessa forma, o lojista só paga pelo produto depois de vendê-lo para o cliente.

Serviços de Impressão sob Demanda mais conhecidos do mercado:

Vantagens da impressão sob demanda:

  • Não precisa imprimir em grandes volumes: da mesma forma que o dropshipping, esse modelo funciona sob demanda. Portanto, nunca vai acontecer de você acabar com um grande estoque de roupas e acessórios;
  • Você não precisa comprar a impressora: não é você que vai colocar seus designs nos produtos. Isso é trabalho do seu parceiro de POD, que cuida de todas as partes técnicas do processo de impressão;
  • É possível experimentar vários designs diferentes: isso ajuda a entender se os clientes gostam ou não. Afinal, a impressão só é feita quando é efetuada uma venda. Só porque você fez a criação digitalmente e colocou no catálogo, não significa que ela será imediatamente produzida. Dessa forma, o lojista pode rapidamente retirar criações que não vendem, sem se preocupar com prejuízos;
  • É fácil fazer novos designs: é possível oferecer mais opções de customização para seus clientes. Por exemplo: eles podem fazer algo original, personalizado. Como o modelo é sob demanda, você não ficará com um estoque cheio de produtos com os nomes dos consumidores.

Riscos da Impressão sob Demanda:

  • Pouco controle sobre a qualidade da entrega e do produto: da mesma forma do dropshipping, esse modelo tira o controle do lojista sobre a qualidade da entrega e do produto final. Se acontece um atraso, ou um produto é enviado errado, o lojista não tem como se prevenir.
  • Você fica refém do seu parceiro POD: empresas POD trabalham com diferentes fornecedores para conseguir os produtos de origem. Isso pode significar muitas variáveis, e algumas vezes os produtos podem ficar fora de estoque.
  • O pedido demora mais para ficar pronto: como cada produto é feito sob demanda, leva mais tempo para finalizar os pedidos. Por isso, é bom avisar ao cliente que cada mercadoria é feita sob demanda e que por isso pode demorar mais tempo para ser entregue.

Vale lembrar também que a venda sob demanda não se limita apenas ao segmento de moda e arte, ainda que estes sejam os dois principais nichos de mercado para vendas just in time. Também é possível trabalhar com vendas sob demanda em segmentos como o alimentício e o de artesanatos.

5. Parceria com fornecedores locais

Para quem está começando, uma maneira bem simples de se vender online sem estoque é através de parcerias com fornecedores locais. Foi assim que o Bruno de Oliveira, fundador do Ecommerce na Prática, começou lá no início dos anos 2000.

Ele fazia isso da seguinte maneira:

Comprava produtos de informática de uma loja em Copacabana por um valor “x” e revendia por um preço mais caro para os seus clientes. E fazia isso sob demanda, ou seja, só comprava do fornecedor quando efetuava uma venda.

Para isso funcionar, é preciso fazer uma boa pesquisa de mercado para encontrar lugares que ofereçam o produto que você deseja vender por um preço acessível

Uma vez encontrado, fica fácil colocar o preço que você quiser, desde que os clientes estejam dispostos a pagar.

É importante, também, estar em sintonia com o fornecedor, para não correr o risco de oferecer um produto que não esteja disponível no estoque naquele momento.

As vantagens desse modelo são óbvias: você não precisa produzir nem estocar o seu produto. Seu único trabalho é comprar e enviar ao cliente quando receber alguma demanda.

Por isso funciona tão bem para pessoas que estão começando, já que não têm ainda um grande volume de pedidos.

Uma desvantagem, no entanto, é a margem de lucro, uma vez que você depende do estoque do fornecedor e do preço que ele cobra pra você.

Assim, agora que já falamos sobre cada uma das possibilidades de forma individual, vamos destacar as vantagens e desvantagens da venda sem estoque como um todo? Veja a seguir.

As vantagens da venda sem estoque

Quem opta por vender sem estoque pode contar com alguns benefícios bem interessantes. Dá só uma olhada:

1. Baixo investimento

Quando se vende sem estoque, não é necessário investir em um espaço físico para armazenar produtos ou em equipamentos. Isso significa que o empreendedor pode começar a vender com um investimento inicial bem menor do que seria necessário para abrir uma loja física.

2. Flexibilidade

Vender sem estoque oferece uma grande flexibilidade ao empresário. É possível mudar a variedade de produtos oferecidos com facilidade, sem se preocupar com a necessidade de alterar o espaço de armazenagem. Além disso, como os produtos são enviados diretamente pelos fornecedores, é possível trabalhar com um grande número de fornecedores diferentes.

3. Maior diversidade de produtos

Quando se vende sem estoque, você consegue oferecer uma grande variedade de itens, sem se preocupar com a necessidade de manter um grande estoque físico. Isso significa que é possível oferecer uma grande variedade de produtos, atendendo às necessidades de diferentes tipos de clientes.

4. Facilidade operacional do negócio

Como não há a necessidade de gerenciar um estoque físico, o empresário pode focar em outras áreas importantes do negócio, como o marketing, a gestão de vendas e a análise de dados. Isso permite que o negócio seja mais eficiente e que o empresário possa tomar decisões estratégicas com mais rapidez.

5. Maior tempo para focar em outras ações

Quando se vende sem estoque, o empresário pode dedicar mais tempo e recursos para outras áreas importantes do negócio, como o atendimento ao cliente, a melhoria dos processos operacionais e o desenvolvimento de novas estratégias de vendas. Isso pode levar a um crescimento mais rápido e consistente do negócio.

Essas vantagens da venda sem estoque são bem atraentes para os empreendedores, não é mesmo? E isso independe do fato de eles serem iniciantes nas vendas online ou já possuírem alguma experiência no mercado.

Essas vantagens da venda sem estoque são bem atraentes para os empreendedores, não é mesmo? E isso independemente se eles são iniciantes nas vendas online ou já possuem alguma experiência no mercado. 

As desvantagens da venda sem estoque

Como nem tudo são flores, vale a pena você também conferir as possíveis desvantagens da venda sem estoque. São elas:

1. Maiores prazos de entrega

Quando se vende sem estoque, os produtos são enviados diretamente pelos fornecedores, o que pode resultar em maiores prazos de entrega para o cliente final. Isso pode ser um problema para clientes que precisam dos produtos com urgência e pode afetar a satisfação deles com o negócio.

2. Maior dificuldade para fazer trocas e devoluções

Não é uma regra, mas vender sem estoque pode ser mais difícil para o cliente realizar trocas ou devoluções de produtos, já que o processo precisa ser feito diretamente com o fornecedor. Isso pode afetar a experiência do cliente com o negócio e pode levar a um maior número de reclamações e insatisfação por parte dos clientes.

3. Baixo controle de qualidade

Ao vender sem estoque, o empresário tem menos controle sobre a qualidade dos produtos que são enviados aos clientes, já que a responsabilidade pelo envio é do fornecedor. Isso pode levar a problemas de qualidade e a um maior número de reclamações por parte dos clientes.

4. Dependência do fornecedor

Quando se vende sem estoque, o negócio se torna mais dependente dos fornecedores, já que é necessário contar com eles para realizar a entrega dos produtos. Isso pode ser uma questão caso haja problemas com um determinado fornecedor, como atrasos na entrega ou falhas de qualidade, o que tem chances de afetar a reputação do negócio e a satisfação dos clientes.

Assim, cabe a você ponderar o que faz sentido para o seu negócio e o que não faz… Sempre pensando nos objetivos que você deseja atingir. Analise se estes pontos são contornáveis e, se achar válido, converse com outros lojistas que já vendem sem estoque para chegar a uma conclusão!

Como montar uma loja virtual sem estoque

Se você chegou até aqui , deu para perceber que existem diversas oportunidades para vender sem estoque na internet, certo? Mas nem sempre os primeiros passos para começar um empreendimento do tipo ficam claros… 

Se você também está nessa situação, podemos apostar que as dicas dos próximos tópicos vão te ajudar. Confira! 

1. Escolha um nicho de atuação

Poucas pessoas sabem disso, mas escolher um bom nicho de mercado, com produtos de alta demanda é um ponto fundamental. Não cometa o erro de abrir um Ecommerce sem pesquisar profundamente sobre o seu mercado. O mercado digital está cheio de oportunidades, mas elas só se concretizam para aqueles que se preparam.  

2. Encontre fornecedores de confiança

Depois de escolher o seu nicho de mercado, o segundo passo mais importante é determinar quais os fornecedores mais confiáveis. Esse é um passo essencial para lojas de todos os tipos, mas se torna ainda mais importante quando falamos de vendas sem estoque. 

Procure por fornecedores com boas avaliações de outros clientes, que tenham prazos de entrega razoáveis – seja a entrega feita para sua empresa ou diretamente para o cliente – e que tenha canais de comunicação efetivos.

Se possível, evite ter apenas um fornecedor. Busque duas ou mais opções para cada produto que você tem anunciado em seu site. Neste artigo, você encontrará mais informações sobre como encontrar bons fornecedores: Fornecedores dropshipping: como encontrar? [Lista gratuita]

3. Desenvolva um planejamento 

É possível dizer que o planejamento é um dos fatores mais decisivos para o sucesso de um negócio. É esse documento que vai guiar as suas decisões financeiras, ações de marketing e demais diretrizes importantes para a empresa.  

O planejamento é um guia que te ajuda a tomar decisões e precisa ser seguido com dedicação, mas isso não significa que você não possa fazer alterações e atualizações sempre que julgar necessário… 

4. Negocie prazos e condições de envio com o fornecedor

Quando você faz vendas sem estoque, a sua relação com os fornecedores precisa ser o mais transparente possível. Muitos fornecedores ainda não estão preparados para funcionar dentro desse modelo e, por isso, é importante negociar os termos dessa parceria antecipadamente. 

Lembre-se sempre que a experiência do cliente deve ser prioridade. As entregas devem ser feitas de forma pontual e a qualidade do produto deve estar atendendo aos padrões que o seu cliente espera. Afinal de contas, é a reputação da sua empresa que está em jogo.

5. Mantenha um bom controle financeiro

Gerenciar uma empresa, independentemente do modelo de negócio, é uma tarefa que requer muita dedicação e controle financeiro. Você precisa tratar o fluxo de caixa da sua empresa com cuidado, investindo todo o dinheiro que entra de forma planejada. 

Comece a vender online sem estoque agora mesmo!

Bom, como você viu, existem várias formas de se vender online sem estoque. Cabe a você decidir qual se encaixa melhor com seu estilo de vida e negócio. A partir de agora, você pode alcance a sua tão sonhada independência financeira! É só começar.

Para te ajudar, montamos aqui 3 caminhos:

  • O segundo é para caso você queira continuar recebendo conteúdos como este direto no seu e-mail. Nós publicamos constantemente artigos que podem te ajudar a empreender e ganhar dinheiro na internet. Para não perder nada, sugiro que assine a Lista VIP do Ecommerce na Prática.
  • O terceiro é você buscar por direcionamento profissional. O comércio digital apresenta oportunidades de ganho financeiro real, mas a falta de direcionamento pode fazer com que você demore muito para conquistar o sucesso que deseja… e cometa muitos erros no caminho.

Pensando nisso, nós gravamos uma aula gratuita com os principais passos que deve seguir para começar a vender online, incluindo modalidades sem estoque.

Esses são passos essenciais independentemente do modelo de venda que escolheu! Assista à aula agora mesmo, gratuitamente:

Perguntas Frequentes

O que precisa para começar no dropshipping?

Escolha um nicho de mercado, faça parceria com fornecedores confiáveis, escolha uma boa plataforma de Ecommerce, decida o seu mix de produtos e faça anúncios para atrair visitantes ao seu site.

Como funciona o estoque zero?

O conceito de “estoque zero” refere-se à compra de materiais ou itens à medida que as vendas são efetuadas. Uma espécie de venda sob demanda.

É possível fazer dropshipping no mercado livre?

Sim, é possível trabalhar com dropshipping no Mercado Livre. No treinamento Mercado Livre do Zero, disponível na assinatura Ecommerce na Prática, ensinamos a metodologia para fazer isso.

Quais os tipos de lojas online sem estoque?

Lojas de dropshipping e sob demanda são exemplos de lojas sem estoque. Lojas de infoprodutos também se encaixam nessa categoria.

Quais as vantagens da venda sem estoque?

As vendas sem estoque requerem um baixo investimento; dão maior flexibilidade; oferecem maior diversidade de produtos; proporcionam maior facilidade operacional do negócio e permitem que você invista o seu tempo em ações relevantes para o negócio.

Como montar uma loja virtual sem estoque?

Para montar uma loja virtual, você precisa escolher um nicho de atuação, encontrar fornecedores de confiança, desenvolver um planejamento sólido, negociar prazos e condições de envio com o fornecedor e manter um bom controle financeiro.